Fazenda no Rio de Janeiro trata escravidão como atração turística

Padrão

Se a gente fosse oferecer um prêmio de close errado do ano, a Fazenda Santa Eufrásia, no Rio de Janeiro, seria uma forte candidata a recebê-lo. A propriedade foi construída por volta de 1830 e os funcionários (negros) fazem algumas vezes o papel de escravos, enquanto a dona da fazenda participa do espetáculo vestida de sinhá.

A denúncia foi feita pelo The Intercept, em matéria publicada ontem, 6. Quem recebe os visitantes que chegam à fazenda é Elizabeth Dolson, bisneta do coronel Horácio Lemos, que comprou a propriedade em 1905. Para entrar no personagem, ela se veste com roupas de época e se refere às funcionárias como mucamas.

Elizabeth viveu em Chicago (EUA) por 23 anos, onde trabalhava com turismo, e diz ter trazido de lá a ideia de encenar a escravidão, desconsiderando todo o debate sobre escravidão e raça feito nos EUA e Brasil. “Racismo? Por causa de quê? Por que eu me visto de sinhá e tenho mucamas que se vestem de mucamas? Que isso! Não! Não faço nada racista aqui. Qual é o problema de ter… não!”, respondeu, desconcertada, ao ser questionada sobre o racismo de seu teatro.

A sinhá tem um empregado que se veste de mucamo e contrata – de acordo com a demanda – mulheres para se vestirem de mucamas. “É um empregado, que mora aqui, que me ajuda, que se veste de mucamo também. Mas ele é branquinho! Então, a cor não tem nada a ver. Eu sou mais morena que esse empregado”,  justifica.

Essa postura não é vista como um problema. Em portais com dicas de turismo é possível ver elogios como: “D. Elisabeth nos recebe com gentileza, com trajes da época e nos conta a bela história da fazenda e de sua família”.

Para o historiador Luiz Antônio Simas, colégios e universidades ensinam a pensar exclusivamente com a cabeça do ocidente. “A escola brasileira é reprodutora de valores discriminatórios e inimiga radical da transgressão necessária. Não adianta a adoção de cotas para negros e índios se o ambiente escolar continuar reproduzindo apenas uma visão de mundo branca, cristã, européia, fundamentada em conceitos pré-concebidos de civilização que negam os saberes ancestrais e as invenções de mundo afro-ameríndias”, diz.

fazenda1

A Santa Eufrásia fica localizada em Vassouras e é uma das construções mais importantes da região, por resguardar mobiliário e utensílios originais do século 19. Entre estes utensílios está um viramundo, um instrumento de tortura de escravos que ela exibe aos visitantes e, segundo a própria Elizabeth, não pertencia à fazenda, tendo sido um presente recebido por ela. Graças a estes aspectos, esta é a única fazenda particular tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Rio de Janeiro (IPHAN-RJ).

O problema, porém, não reside apenas nas experiências oferecidas pelo local, mas no fato de tudo acontecer sem nenhuma reflexão a respeito das barbáries sofridas pela população negra durante a escravidão, muitas das quais ecoam até os dias de hoje. As visitas custam entre R$ 35 e R$ 65 e, ao invés de promover um resgate cultural do momento histórico do país, se vale da espetaculização da tragédia alheia.

fazenda3

Se você desejar ser servido por uma pessoa negra vestida como uma escrava, você pode se hospedar na Fazenda Santa Eufrásia, em Vassouras, a 111 km do centro do Rio. Foto: Igor Alecsander

igor170514__3625-1024x684

A região tem um histórico particular de selvageria contra negros feitos escravos. Tanto que, em 1829, o então fiscal da Vila de Valença (hoje Valença, município vizinho a Vassouras), Eleutério Delfim da Silva, demonstrou preocupação com os “castigos brutais que os escravos daquela Vila recebiam”, fazendo inclusive uma representação à Câmara expondo tais brutalidades. Mas isso parece não ser uma questão relevante para quem explora o potencial turístico da região. As pessoas que passam um dia descontraído nessas senzalas e casas grandes teriam coragem de pegar um trem na Polônia, rumo a Auschwitz, dividindo o assento com atores judeus sorridentes fantasiados de seus ancestrais?

Fotos: Reprodução Santa Eufrásia / Foto destaque: Reprodução Vimeo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s